Após reunião, ministros e governadores socialistas fazem caminhada simbólica com Lula até o STF em defesa da democracia

11/01/2023 (Atualizado em 10/01/2023 | 13:34)

oto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil
oto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil

Após reunião com governadores e vice-governadores das 27 unidades federativas do país, no Palácio do Planalto, na noite desta segunda-feira (9), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o vice-presidente e ministro da Indústria e Comércio Exterior Geraldo Alckmin fizeram uma caminhada simbólica em apoio à democracia com autoridades, parlamentares, ministros e membros do Executivo até o Supremo Tribunal Federal.


Os governadores do PSB João Azevêdo (Paraíba), Renato Casagrande (Espírito Santo) e Carlos Brandão (Maranhão) participaram da reunião. O ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino (PSB), também esteve presente.


A reunião foi convocada após os ataques terroristas por bolsonaristas que depredaram os prédios públicos dos três Poderes (Palácio do Planalto, Congresso Nacional e STF).


Na ocasião, Lula agradeceu pela solidariedade prestada pelas autoridades presentes. “Vocês vieram prestar solidariedade ao país e à democracia. O que nós vimos ontem foi uma coisa que já estava prevista. Isso tinha sido anunciado há algum tempo atrás. As pessoas não tinham pauta de reivindicação. Eles estavam reivindicando golpe, era a única coisa que se ouvia falar”, disse.


Ele ainda defendeu que não vai permitir que a democracia escape das mãos porque esse é o único regime capaz de oferecer qualidade de vida aos mais humildes.


“Nós não vamos permitir que a democracia escape das nossas mãos, porque é a única chance de a gente garantir que esse povo humilde consiga comer três vezes ao dia, ou ter direito de trabalhar”, afirmou.


O presidente afirmou que o governo “não vai dar trégua” até descobrir quem financiou os atos golpistas em Brasília. “O que eles querem é golpe, e golpe não vai ter”, completou.


Em suas redes sociais, Alckmin ressaltou que a reunião foi “uma demonstração histórica de apoio à República e à democracia”. “O presidente Lula, com os chefes do Judiciário e do Legislativo, recebeu os 27 governadores da federação em uníssona e inequívoca mensagem de união em defesa do país, de suas instituições e do povo brasileiro. A democracia sai fortalecida, a federação unida e os três poderes em harmonia”, celebrou.


Já o ministro Flávio Dino afirmou durante a caminhada que a crise na segurança pública está solucionada. “Temos evidentemente as marcas terríveis, mas podemos afirmar que há uma normalidade institucional no país e essa reunião de hoje reafirma que há uma ampla união e que a paz institucional restabelecida será duradoura”, afirmou.


O governador da Paraíba, João Azevêdo (PSB), destacou a necessidade de fortalecer a democracia. “Das cenas de intolerância, violência e destruição a um momento histórico, de diálogo e união entre os 27 governadores, o presidente da República, o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal, deixando as diferenças políticas de lado para colocar como prioridade máxima a defesa da nossa soberania e da vontade popular. Um momento em que todos pudemos demonstrar o nosso compromisso com a democracia, com a reunificação e os avanços do nosso país. Estaremos, mais do que nunca, atentos e fortes para que atos como o de ontem não voltem a se repetir”, disse.


Em vídeo após a caminhada, o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB), ressaltou que os invasores destruíram fisicamente o Supremo, o Palácio do Planalto e o Congresso Nacional, que serão recuperados, mas que “a democracia é um valor fundamental”.


“Fortalecemos nossa posição de estarmos juntos defendendo as instituições brasileiras, defendendo a democracia e condenando os atos de violência e terroristas do último domingo, e atravessamos a Praça dos Três Poderes e viemos fazer uma visita ao Supremo Tribunal Federal. […] O mais importante é que essa parte física, nós recuperamos, e que a democracia ficou cada vez mais como um conceito e um valor fundamental para a população brassileira”, completou.


O governador do Maranhão, Carlos Brandão (PSB), se comprometeu a trabalhar incansavelmente para que o Estado siga em clima de paz e plenamente alinhado ao respeito à democracia após participar da reunião que ele classificou como histórica por contar com a presença de membros de todos os Poderes, de todas as unidades da federação, em sintonia pelo bem do Brasil. “O Maranhão segue comprometido com a democracia e com a paz”, assegurou.



Fonte: Assessoria de Comunicação/PSB Nacional com informações da Agência Brasil